21/03/2008

Lobo


Em cada sol que os olhos da noite vêem, aponta uma volúpia inata de aninhar a lua, extravasada na rua numa claridade pura.

Calo o chio… no canto que a cigarra teima, tiro-lhe o momento que me sucede ao libertar a boca colada na tua pele, deixo-te o meu meloso ao contacto do teu odor gostoso.

Separo de ti as gavinhas e!

Dorme minha pétala, loba perfumada, enrosca-te no teu sorriso, só eu, de guarda escudado, dispo a alma que te aquece e assim cubro a sombra como sentinela ao teu sono.

Nestas muralhas edificadas de eterno, espreito pelas guaritas, de onde aponto as minhas garras como canos cerrados de amor e zelo.

No meu uivo, afio as unhas, lobo as presas, que de alimento espiritual e calórico, alimentam a tua pureza, enquanto fortificam o meu peito de seiva doce.

E porquê?

Porque só tu sabes onde se encontra o ponto X da minha cruzada!

6 comentários:

Margarete da Silva disse...

No dia da poesia, o findar do nosso dia e tu homenageias o mundo com estas palavras. Eu sei onde está o X para descobrir o teu tesouro... nas tuas palavras está um pote de ouro basta descobrir o fimd este arco-íris.
Espero-te na minha nova casa já tatuada pela tua http://margaretedasilva.blogspot.com


Um beijo em ti*

Margarete da Silva disse...

Bem... eu estou aqui* Seria possível trocar-nos o hotmail para falarmos por msn ?

bruxinha disse...

Obrigado pelo coment:)
Este texto é muito bom, sem dúvida*

SAM disse...

Adorei, Jorge!

* Dei uma escapadela, mas vim a tempo de te deixar um beijo achocolatado, recheado de ternura.

ternura disse...

Que bom que alguém é conhecedor do ponto x da cruzada.
Beijinho.

Parapeito disse...

Sorte a do Lobo :)
Gostei de ler...adoro lobos :)

Seguidores

Contagem de visitas

Music


MusicPlaylist