08/01/2009

CIÚME


por trás da cortina sobra uma réstia de [LUZ]

é a pincelada de uma cruz com corpo de [FÊMEA], insinuante às trevas do medo
a teus pés jorram os [QUEIXUMES] de um crivo de corpos húmidos e celestes, inanimados em chãos [PÉRFIDOS]

-queda-se o sobrolho numa tonalidade de negro
porque me escolheste como árida contagem de [REDOBRES?] a mim que sou frágil emulação do vício, do erro!

olho de novo para os teus lábios cerrados à espera de um [SIM]...
que eu pare a contagem… já que, de trás da cortina sobra uma réstia de [LUZ]

25 comentários:

Fa menor disse...

Que sobre sempre essa réstia de luz!

Betty Branco Martins disse...

.________querido Jorge




(ainda não "abri o Fragmentos)





passei para te ler um pouco





e dizer que estou a adorar o teu livro_____...






beijO______ternO

ลndreia disse...

Cheio de mistério... *

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Olá,
Como é verão aqui em Florianópolis SC, muitos turistas na ilha, e eu trabalho diretamente com turismo estou com pouco tempo, então só passo para uma visita rápida e ver as novidades.
Um grande abraço

Pena disse...

Talentoso Amigo:
O Ciúme, a eterna tentação de que sou infiel. Incapaz!
Amo a fidelidade no meu sentir que penso nunca soçobrará.
Uma sensibilidade poética fantástica...a sua...
"...olho de novo para os teus lábios cerrados à espera de um [SIM]...
que eu pare a contagem… já que, de trás da cortina sobra uma réstia de [LUZ]..."

Brilhante. Admirável.

Abraço amigo de enorme respeito

pena

Obrigado pela simpatia das palavras expressas no meu "cantinho". Adorei!

paradoXos disse...

insentimento aceso!!
- humanamente vivo...

"porque me escolheste como árida contagem de [REDOBRES?] a mim que sou frágil emulação do vício, do erro!"

esta frase me calou as palavras - linda!!!!

abraços, amigo

Anja Rakas disse...

Ciúme da luz, dos queixumes, das palavras que derramas aqui.
Ciúmes das tuas teclas que tem a sorte de sentir teus dedos deslizando por elas sem a menor hesitacao.

Saudades de ter ciumes da luz que ilumina teu cabelo suave e com sabor a doce.

Beijos

Poemas e Cotidiano disse...

Tomei a estrada do Paradoxos e parei aqui.
Muito bonita sua poesia e o jeito que voce a escreve!
Parabens!
Beijos
MARY

Serena Flor disse...

Belíssimo texto este.
O ciúme que atormenta mente e corações...
Um grande beijo e ótimo Sábado pra você!

~pi disse...

mensagens ( no vento :)

Carla disse...

e de luz são feitas estas palavras...apesar do título ser sobre ciúme
beijos e boa semana

Eu sei que vou te amar disse...

Ciúme, este ciúme perdido e incolor! Nas tuas palavras resta apenas sentir um Ciúme saudavel da tua escrita!
Beijo doce

Conceição Bernardino disse...

Bom dia hoje deixo um comentário diferente, um carinho para si.
Saudades...

Fernando Pessoa
"Um dia a maioria de nós irá se separar. Sentiremos saudades de todas as conversas jogadas fora, as descobertas que fizemos, dos sonhos que tivemos, dos tantos risos e momentos que compartilhamos.

Saudades até dos momentos de lágrima, da angústia, das vésperas de finais de semana, de finais de ano, enfim... do companheirismo vivido.

Sempre pensei que as amizades continuassem para sempre. Hoje não tenho mais tanta certeza disso. Em breve cada um vai pra seu lado, seja pelo destino, ou por algum desentendimento, segue a sua vida, talvez continuemos a nos encontrar quem sabe...

Podemos nos telefonar, conversar algumas bobagens... Aí os dias vão passar, meses... anos... até este contato tornar-se cada vez mais raro.

Vamos nos perder no tempo... Um dia nossos filhos verão aquelas fotografias e perguntarão?
Quem são aquelas pessoas? Diremos... Que eram nossos amigos. E... isso vai doer tanto! Foram meus amigos, foi com eles que vivi os melhores anos de minha vida!

A saudade vai apertar bem dentro do peito. Vai dar uma vontade de ligar, ouvir aquelas vozes novamente... Quando o nosso grupo estiver incompleto.. . nos reuniremos para um ultimo adeus de um amigo. E entre lágrima nos abraçaremos.

Faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante. Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vidinha isolada do passado.

E nos perderemos no tempo... Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo: não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades seja a causa de grandes tempestades. ..

Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!"


Beijo
ConceiçãoB

Pena disse...

Um perfeito "Carimbo" que prima por ser brilhante...genial...

Abraço amigo

pena

Ana Rita disse...

Uma vivência efectiva de sentimentos incrível. :)

Luis F disse...

Excelente meu amigo

Mais um grande poema que a tua alma escreve...

Gostei muito de ler

Com amizade
Luis

Betty Branco Martins disse...

.________querido Jorge






um________:=)












beijO______ternO
bFsemana

Benó disse...

Sem ciúme do que escreves, gostei do que li.
Boa semana.

paradoXos disse...

tpassei pra reler!
abraço

† Samurai † disse...

hey, lindo poema e interessante a maneira na qual vc escreve!!

Pois é.. há sempre quem queira resolver seus problemas tirando a própria vida.. possoas fracas de espírito!

bjos

Paulo - Intemporal disse...

[...]

na réstia de luz a sobra que sobra que chega para reancender o brilho que se abate sobre o crepúsculo.

outrora cinzento. a partir de amanhã

[...]

Abraço[-O] Jorge.

Paulo T Pires disse...

é (um) estranho ciume...

JCD disse...

Descobrir um blgue assim é sempre um prazer deslumbrante___________________

Um abraço, jorge_________________________

isabel mendes ferreira disse...

vim. "fraccionar-me" de luz.





para melhor ser.


obrigada Jorge.

Parapeito disse...

...e a luz destas palavras...ofuscou-me********

Seguidores

Contagem de visitas

Music


MusicPlaylist