05/09/2009

JORGE VIEIRA CARDOSO E A SUBMISSÃO DO PENSAMENTO [NO OCULTO MEDO]

Foi de sempre… quão eternas são as palavras que brotam na fonte em cruz, onde camuflados no [MEDO], errantes na razão crucificaram Jesus.

Regresso perdido de entre as almas inadaptadas, procurei-me por lá, do que vi, nem a explicação de pormenor consente tamanho entendimento. São os poros de uma derme epidermicamente tingida. Ora são as novas, ora são as velhas lembranças que destilam insatisfação. Mas a cura está na aceleração que o dia seguinte submerge o anterior, a cura está na descoberta em amadurecimento, sabendo que, a FELICIDADE material é tão triste quando está naquilo que se ostenta, mas ainda é mais triste quando a IN.FELICIDADE está materialmente ofuscada pelo que não se ostenta!
Por isso é que o regresso chega na liberdade de cada um ao escolher do ensejo, momento que não é mais, do que a fonte da nossa identidade… (Para reflectir!)

Direitos exclusivos de: Jorge Vieira Cardoso

11 comentários:

Graça disse...

Não regressas perdido. Cada dia é um encontro nas palavras, essas que são eternas em ti... onde bebes a tua identidade.

Beijo terno, querido Jorge. Feliz pelo regresso.

SAM disse...

E muito acertada a reflexão, Jorge.


Carinhoso beijo

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Jorge,

A minha homenagem pelo texto (uma pérola reluzente) e fotos. Sempre com essa qualidade... Muito bom, mesmo.

Aquele abraço

heretico disse...

dei comigo a "reflectir" (coisa rara em mim lol) e, em sintese,

1 - não percebo que faz Cristo no texto (mas deve ser a minha veia "herética")

2 - estimulante o "regresso" á liberdade como matriz de identidade...

abraço

Pena disse...

Admirável e Fabuloso Escritor Amigo:
"...Mas a cura está na aceleração que o dia seguinte submerge o anterior, a cura está na descoberta em amadurecimento, sabendo que, a FELICIDADE material é tão triste quando está naquilo que se ostenta, mas ainda é mais triste quando a IN.FELICIDADE está materialmente ofuscada pelo que não se ostenta!
Por isso é que o regresso chega na liberdade de cada um ao escolher do ensejo, momento que não é mais, do que a fonte da nossa identidade… (Para reflectir!)..."

Um texto de gigante significação literária e de grande talento numa abordagem do pensamento de Cristo.
Sim, Amigo. Todo o bem material e supérfluo na nossa busca de uma identidade atemporal e não espiritual, onde a sua Alma é gigantesca.
Um Post perfeito que deixa as pessoas em meditação e reflexão.
Divinal, Amigo Enorme.
Adorei!
Abraço cordial de respeito e estima.
Sempre a lê-lo com admiração pela seu gigante sentir e ser.

pena

. Paulo . Intemporal . disse...

. bem regressado querido Jorge ,,,

. na mais assertiva reflexão que te é estado d`alma sublime e perene .

. bel.íssimo este re.encontro contigo .

. com amizade, sempre, sempre ...

. abraço.TE . a TI .

Carla disse...

um regresso ao medo...ou um regresso sem medo?
beijo e bom fds

Graça disse...

Vim deixar-te um beijo, com o carinho de sempre e dizer-te que adorei o teu livro :). Já li e reli...

Pena disse...

Admirável Amigo:
Um texto significativo. Profundo.
Perfeito. Saído fabulosamente de si e do talento que o caracteriza há tempo imenso.
Parabéns sinceros.
Sempre a admirá-lo.
Abraço amigo

pena

Bem-Haja por ser extraordinário e fantástico no sentir belo literário, pessoal, social e humano.
Adorei!

Pena disse...

A Blogosfera ficaria perdida sem a sua sensibilidade.
Parabéns sinceros.
Abraço. Uma das mais puras, belas e admiráveis páginas escritas.
Excelente!
Com respeito e admiração pela sua gigantesca postura e conduta na vida...

pena

Pena disse...

Amigo Fantástico:
Olhe, escreve de forma divinal. Notável.
Faz das palavras um "ninho" admirável para expressar uma extraordinária sensibilidade enorme e gigante.
Parabéns sinceros.
Abraço amigo de respeito e forte estima.
Sempre a admirar o que cria, fabulosamente...

pena

Excelente, amigo!
Bem-Haja pelo talento e génio admiráveis!
Adorei!

Seguidores

Contagem de visitas

Music


MusicPlaylist