02/12/2009

Fria Humanidade!!!

suturo a minha derme na língua inóspita da Fria Humanidade!!!

Ousei ser só silêncio caldeado nas cordas adormecidas da garganta, mistério com acerto na fileira de uma catedral gélida;

sobrecarga de um insano apóstolo em dúbio, prezado momento ofusco entre os sons de um piano séptico;


Solarei o núcleo atrás de uma vela ardente, joelhos rotos de uma caminhada melódica, JAZZ musical em jazido respirador de células vivas…olharei a ver a ida das nuvens no descobrimento da cor que fica ao cimo do orbe.



4 comentários:

Pena disse...

Estimado Amigo Poeta:
Uma sensibilidade perfeita em "confeccionar" versos geniais.
Repleto de significação GIGANTE.
Parabéns sinceros. Adorei.
MUITO OBRIGADO pela amizade no meu blogue.
É sublime.
Abraço amigo de admiração e respeito.
Sempre a lê-lo atentamente e com admiração.

pena


Fabuloso Poeta.
Bem-Haja, amigo ENORME!

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Indizível prosa espraiada em recônditos lugares que nao sei traduzir.

aquele abraço

Graça disse...

A "aparente" desconstrução que imprimes às palavras é de uma beleza indizível.

Querido Jorge, um beijo imenso de carinho.

. intemporal . disse...

. vale sempre tanto a pena esperar por ti .

. vale sempre tanto a pena .

. a.penas porque vales tanto .

. a.penas a pena .

. re.abraço.TE .




. paulo .

Seguidores

Contagem de visitas

Music


MusicPlaylist